fbpx Let's talk?

Se você está acompanhando os últimos artigos aqui no blog, viu que estamos falando sobre como uma gestão enxuta pode melhorar o desempenho do Trade. Se ainda não leu, confira aqui os textos sobre gestão de portfólio enxuto e o que é valor para o cliente.

Hoje, dando continuidade ao tema, vamos falar sobre OKRs, um sistema ainda pouco utilizado pela maioria das empresas no Brasil, que pode ser usado no dia a dia da equipe para estabelecer e medir o desempenho das etapas de um projeto com prazo determinado de forma clara e objetiva.

Você já ouviu falar sobre essa técnica? Sabe qual a diferença entre ela e os KPIs? Confira a seguir.

O que são OKRs

OKR é a sigla em inglês para objectives and key results, literalmente, objetivos e resultados-chave. O conceito foi proposto pelo engenheiro americano Andrew Grove, ex-CEO da Intel, em seu livro High Output Management, de 1983. O sistema, porém, só se espalhou no final dos anos 90 após o Google adotá-lo graças a John Doerr, ex-funcionário da Intel e “discípulo” de Grove.

Hoje, utilizar OKRs é uma prática comum em grandes organizações como o LinkedIn, o Twitter, o Walmart, a Disney e o Uber, entre outras.

Como indica o nome, os OKRs são compostos por duas partes: um objetivo (O), que deve ser uma meta clara, e os resultados-chave (KRs), que são métricas específicas usadas para avaliar se as metas estão sendo atingidas. Em resumo, o seu objetivo é definir como atingir resultados com ações concretas, específicas e mensuráveis.

OKRs bem definidos e compartilhados com a equipe geram engajamento. O time alinhado tende a manter o foco e trazer resultados mais rápido.   

Qual a diferença entre OKRs e KPIs?

Quando se fala em OKRs é comum que uma dúvida venha na sequência: mas para que mais uma técnica, mais uma sigla, se já existem os KPIs? Acontece que os dois não servem para a mesma coisa. Os OKRs estão ligados a ações estratégicas do momento, projetos específicos com data de conclusão determinada. Já os KPIs são métricas macro, que medem indicadores relevantes para o negócio como um todo.

Imagine que um planejamento para a realização de ações promocionais pode ser organizado e medido por OKRs, mas o resultado final do trabalho pode ser um KPI.

Como criar OKRs eficientes?

Na hora de criar OKRs alguns critérios devem ser considerados para que os resultados sejam positivos.

  1. Os objetivos devem ser claros, diretos e permitirem fácil memorização. Os colaboradores precisam ouvir qual é o objetivo e saberem imediatamente do que se trata, não pode haver dúvidas;
  2. Os objetivos precisam fazer sentido para a empresa, por isso precisam ser criados respeitando a cultura e a forma como a organização se comunica;
  3. Cada objetivo deve ter entre 3 e 5 KR´s que sejam possíveis e desafiadoras. Se foram fáceis de serem atingidos os resultados-chave não vão ajudar o cumprimento da meta;
  4. Os resultados podem ser avaliados em uma escala de 0-100%, mas é importante que não sejam só numéricos e tragam, além de uma visão quantitativa, uma análise qualitativa, uma vez que o importante é que as metas sejam alcançadas com excelência.   

Depois de definir o objetivo, os resultados-chaves são como etapas complementares que podem fazer com que a meta seja alcançada. Vamos imaginar um exemplo:

Objetivo: ampliar em 30% o volume de vendas de uma marca no primeiro trimestre.

Resultado-chave 1: Ampliar o número de PDVs que podem vender um produto da marca.

Resultado-chave 2: Criar ações promocionais nas principais praças.

Resultado-chave 3: Lançar um produto novo com a marca.

O ideal é criar uma série de OKRs para serem usados por um período, por exemplo, um trimestre ou quadrimestre, por exemplo. Depois de concluídos, outros podem ser criados. Assim a gestão tem um controle melhor e a equipe fica mais focada. 

O que você achou? Acredita que o uso de OKRs possa ser útil para você? Conte para nós.

Conheça a Trade Marketing Force

A Trade Marketing Force é a mais completa plataforma de gestão de Trade Marketing e Vendas do mercado nacional. É também o mais eficiente aplicativo de gestão de campo do Brasil.

A TMF diminui a distância entre toda a cadeia de suprimentos e a indústria, dinamiza processos, organiza resultados e facilita a apuração de dados. Assim, traz agilidade, criando uma indústria 4.0 alinhada com as melhores práticas de BPM e gerando transparência para seus clientes e fortalecendo a relação com a equipe.

Acesse nosso site e conheça todas as funções da plataforma e do aplicativo. Com certeza, alguns dos nossos serviços atendem sua necessidade.

Acompanhe também o nosso blog, que toda semana traz artigos sobre Trade Marketing e temas relacionados a esse universo, e nos siga nas redes sociais. Estamos no Facebook, no LinkedIn e no Instagram com conteúdo diário sobre o mercado para você ficar atualizado.

Trabalhe com segurança!

Até a semana que vem!

About the author
Tarcísio Bannwart
Tarcísio Bannwart
Chief Executive Officer
Trade Marketing Force creator, the most complete management platform in the market

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *